Catálogo de Artesanato do IFRR expõe obras produzidas por mulheres indígenas

por Laura publicado 22/12/2016 11h25, última modificação 22/12/2016 11h31
O material foi lançado nesta terça-feira, dia 20, na Comunidade do Maturuca, localizada na Terra Indígena Raposa-Serra do Sol, no Município do Uiramutã
Catálogo de Artesanato do IFRR expõe obras produzidas por mulheres indígenas

A reitora do IFRR, Sandra Mara Botelho, fazendo a entrega oficial do catálogo à aluna do curso de Artesão em Artigos Indígenas Margareth de Souza Brito

A Comunidade do Maturuca, localizada na Terra Indígena Raposa-Serra do Sol, no Município do Uiramutã, recebeu, nesta terça-feira, dia 20, uma equipe de servidores do Instituto Federal de Roraima (IFRR) para o lançamento do primeiro catálogo de artesanato da instituição.

Ele reúne uma mostra dos resultados obtidos com a oferta de Cursos de Formação Inicial e Continuada (FIC) em diversos campi do IFRR por meio do Programa Mulheres Mil. Entre estes, está o Campus Amajari (CAM), que ofertou, além de outros, o curso de Artesão em Artigos Indígenas a 25 mulheres da Comunidade do Maturuca, onde ocorreu o lançamento do catálogo.

O “malocão da homologação”, centro das deliberações e das decisões coletivas da comunidade, foi o local escolhido para o lançamento do Catálogo de Artesanato

Para a reitora do IFRR, Sandra Mara Botelho, o acesso à educação profissional, respeitando a vocação econômica da região, garante que as mulheres atendidas melhorem sua qualidade de vida e da sua comunidade. “Nós não conseguiríamos realizar esse trabalho sem o apoio de vocês. Desse modo, agradecemos a acolhida, que permitiu a partilha de conhecimentos, resultando nesse catálogo”, complementou.

O diretor-geral do CAM, George Sterfson Barros, destacou que a proximidade com as comunidades locais, aliada à dedicação e ao apoio dos profissionais, seja dos campi, seja da Reitoria, tem sido o grande diferencial do IFRR. “Ainda temos muito trabalho pela frente, mas vitórias como a de hoje nos encorajam a continuar nosso trabalho”, ressaltou.

Margareth de Souza Brito foi uma das indígenas atendidas pelo curso de Artesão em Artigos Indígenas. Ela contou que o curso trouxe muitos benefícios, como o aprimoramento do artesanato já produzido na comunidade. “Ele também nos conscientizou a valorizar mais nosso trabalho e a fortalecer a nossa cultura [macuxi]. Aprendemos ainda a ser autônomas para ajudar nossa família”, disse.

Ao final da cerimônia de lançamento, as mulheres receberam brindes e exemplares do catálogo de artesanato. Realizaram a entrega o tuxaua do Maturuca, Percival Paulino Leite, a reitora do IFRR, Sandra Mara Botelho, o pró-reitor de Extensão, Nadson Castro dos Reis, o diretor-geral do CAM, Sterfson Barros, a gestora institucional do Programa Mulheres Mil, Maria da Natividade Alves de Oliveira, a coordenadora do programa no CAM, Elisangela Ferreira Duarte, e a professora Raimunda Maria Rodrigues Santos.

Mulheres Mil – Por meio do programa, o IFRR leva, de norte a sul do estado, cursos FIC com carga horária de, no mínimo, 160 horas a mulheres de baixa renda, transformando seus múltiplos saberes, histórias, aprendizados e vivências em qualificação profissional. De 2013 até este ano, mais de 900 mulheres foram atendidas pelos Campi Amajari, Boa Vista Centro, Boa Vista Zona Oeste, Novo Paraíso e Bonfim. 

 

Laura Veras 
Ascom/Reitoria 
22/12/2016
« Agosto 2017 »
month-8
Se Te Qu Qu Se Sa Do
31 1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 31 1 2 3